domingo, 30 de Dezembro de 2012

…E ASSIM PASSOU MAIS UM ANO.

Ao reflectir sobre ele e fazendo uma passagem mental por este passado tão recente, reconheço que valeu a pena vivê-lo. Não só pelos momentos felizes e de êxitos, mas também pelos momentos em que tive que reagir e lutar, buscar no meu interior coragem e energias positivas para prosseguir.
Neste momento de tomada de consciência analiso os erros que cometi e os acertos que fiz, o que perdi e o que recuperei, as minhas dúvidas e os momentos de coragem, os meus êxitos.

Quero fazer esta reflexão e ser sincero comigo mesmo, pois reconheço que para ser feliz e tornar felizes os que me amam, tive que investir nos meus sonhos e objectivos e acreditar nos desejos mais íntimos do meu coração, empenhar-me sempre na sua realização, ultrapassar obstáculos, subir montanhas, cruzar oceanos e quando foi necessário ir até onde a minha fé me levou.
Sei que não foi fácil, sei que por vezes tomei atitudes que desagradaram, mas tomei-as conscientemente e dependeram só de mim e da minha consciência, tenho a certeza de nunca magoei ninguém ostensivamente. Tive de esquecer pessoas que em tempos me foram queridas… Sei que algumas vezes a minha maneira de agir pode não ter sido a mais correcta, mas tentei sempre corrigir algum erro cometido e pedir desculpas, umas vezes aceite, outras não (cada pessoa tem o livre arbítrio da sua decisão), desiludi-me com certezas que tinha… não é fácil, mas é o caminho…
Tenho a felicidade de neste balanço reconhecer que com o meu trabalho e todas estas nuances, ajudei e fiz feliz a minha família (O Meu Jardim), fiz bons amigos e caminhei com o Mestre e isso para mim, é a maior recompensa de tudo o que passei nestes últimos 365 dias.
Por tudo isto vou manter a Luz da Esperança, da Felicidade e do Amor, sempre a brilhar dentro do meu coração, neste ano que se avizinha, pois sei que assim conseguirei avançar com a certeza que surgirão sempre oportunidades para seguir o meu trilho.
Para o Meu Jardim e para os amigos que o são verdadeiramente, desejo que caminhemos, lado a lado unidos pelo amor e pela amizade.
Bom Ano
Bem Hajam

terça-feira, 9 de Outubro de 2012

O PONTO NEGRO


Certo dia, um professor chegou à sala de aulas e disse aos alunos para se prepararem para uma prova surpresa. Todos aguardaram assustados o teste que viria.
O professor foi entregando a folha da prova com a parte do texto virada para baixo, como era costume, depois que todos receberam, pediu que virassem a folha.
Para surpresa de todos, não havia uma só pergunta ou texto, apenas um ponto negro, no meio da folha. O professor, analisando a expressão de surpresa que todos faziam, disse o seguinte:
- Agora, vocês vão escrever um texto sobre o que estão vendo.
Todos os alunos, confusos, começaram então a difícil e inexplicável tarefa, terminado o tempo o mestre recolheu as folhas, colocou-se na frente da turma e começou a ler as redacções em voz alta, todas, sem excepção, definiram o ponto negro, tentando dar explicações pela sua presença no centro da folha. Terminada a leitura, a sala em silêncio, o professor então começou a explicar:
- Este teste não será para nota, apenas serve de lição para todos nós. Ninguém na sala falou sobre a folha em branco, todos centralizaram as suas atenções no ponto negro. Assim acontece em nossas vidas, temos uma folha em branco inteira para observar e aproveitar, mas sempre nos centralizamos nos pontos negros.
A vida é um presente da natureza dado a cada um de nós, com extremo carinho e cuidado, temos motivos para comemorar sempre, é a natureza que se renova, os amigos que se fazem presentes, o emprego que nos dá o sustento, os milagres que diariamente presenciamos, no entanto, insistimos em olhar apenas para os pontos negros.
O problema de saúde que nos preocupa, a falta de dinheiro, o relacionamento difícil com um familiar, a decepção com um amigo.
Os pontos negros são mínimos em comparação com tudo aquilo que temos diariamente, mas são eles que povoam nossa mente.
Pense nisso.
Tire os olhos dos pontos negros de sua vida.
Tranquilize-se e seja feliz.

quarta-feira, 1 de Fevereiro de 2012

DEUS SEGUNDO SPINOZA



“Pára de ficar rezando e batendo no peito! O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida.
Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.
Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas ser a minha casa.
Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias. Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.
Pára de me culpar da tua vida miserável: Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau.
O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.
Pára de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Se não me podes ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho... Não me encontrarás em nenhum livro!
Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais-me dizer como fazer meu trabalho?
Pára de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor.
Pára de me pedir perdão. Não há nada a perdoar. Se Eu te fiz... Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como te posso culpar se respondes a algo que eu pus em ti?
Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez? Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que tipo de Deus pode fazer isso?
Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti.
Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia.
Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso.
Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.
Eu te fiz absolutamente livre. Não há prémios nem castigos. Não há pecados nem virtudes. Ninguém leva um placar.
Ninguém leva um registro.
Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno.
Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso-te dar um conselho. Vive como se não o houvesse.
Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei.
E se houver, tem certeza que Eu não te vou perguntar se foste comportado ou não. Eu vou-te perguntar se tu gostaste, se te divertiste... Do que mais gostaste? O que aprendeste?
Pára de crer em mim - crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti.
Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar.
Pára de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja? Me aborrece que me louvem. Me cansa que agradeçam.
Tu te sentes grato? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo.
Te sentes olhado, surpreendido? Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar.
Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim. A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas. Para que precisas de mais milagres?
Para que tantas explicações?
Não me procures fora! Não me acharás. Procura-me dentro... aí é que estou, batendo em ti.



Baruch Spinoza.


As sábias palavras são de Baruch Espinoza - nascido em 1632 em Amsterdã, falecido em Haia em 21 de Fevereiro de 1677, foi um dos grandes racionalistas do século XVII dentro da chamada Filosofia Moderna, juntamente com René Descartes e Gottfried Leibniz. Era de família judaica portuguesa e é considerado o fundador do criticismo bíblico moderno. Acredite, essas palavras foram ditas em pleno Século XVII.
Continuam verdadeiras e atuais até a data de hoje.

segunda-feira, 30 de Janeiro de 2012

OS CINCO ESTÁGIOS DE UMA CARREIRA



Existem cinco estágios numa carreira.
O primeiro estágio é aquele em que um funcionário precisa usar crachá, porque quase ninguém na empresa sabe o nome dele.
No segundo estágio, o funcionário começa a ficar conhecido dentro da empresa e o seu sobrenome passa a ser o nome do departamento em que trabalha. Por exemplo, Heitor de contas a pagar.
No terceiro estágio, o funcionário passa a ser conhecido fora da empresa e o nome da empresa transforma-se em sobrenome, Heitor do banco tal.
No quarto estágio, é acrescentado um título hierárquico ao nome dele: Heitor, director do banco tal.
Finalmente, no quinto estágio, vem a distinção definitiva. Pessoas que mal conhecem o Heitor passam a referir-se a ele como “o meu amigo Heitor, director do banco tal”.
Esse é o momento em que uma pessoa se torna, mesmo contra a sua vontade, em “amigo profissional”.
Existem algumas diferenças entre um amigo que é amigo e um amigo profissional.
Amigos que são amigos trocam sentimentos. Amigos profissionais trocam cartões-de-visita.
Uma amizade dura para sempre. Uma amizade profissional é uma relação de curto prazo e dura apenas enquanto um estiver sendo útil ao outro.
Amigos de verdade perguntam se podem ajudar. Amigos profissionais solicitam favores.
Amigos de verdade estão no coração. Amigos profissionais estão numa planilha.
É bom ter uma penca de amigos profissionais. É isso que, hoje, chamamos networking, um círculo de relacionamentos puramente profissional. Mas é bom não confundir uma coisa com a outra.
Amigos profissionais são necessários. Amigos de verdade, indispensáveis.
Algum dia, e esse dia chega rápido, os únicos amigos com quem poderemos contar serão aqueles poucos que fizemos quando amizade era coisa de amadores.


Max Gehringer


Nota: Identifico-me tanto com este texto que quase tive vontade de trocar o nome do Heitor pelo meu (Duarte).

quarta-feira, 25 de Janeiro de 2012

COMECE POR VOCÊ



As palavras a seguir estão escritas no túmulo de um bispo anglicano, numa catedral na Inglaterra:
“Quando eu era jovem, e minha imaginação não tinha limites, sonhava mudar o mundo. Quando fiquei mais velho e mais sábio, descobri que o mundo não mudaria; então restringi um pouco as minhas ambições, e resolvi mudar apenas o meu país.
Mas o país também me parecia imutável.
No ocaso da vida, numa última e desesperada tentativa, quis mudar a minha família, mas eles não se interessavam nem um pouco, dizendo que eu sempre repetia os mesmos erros.
No meu leito de morte, enfim, descobri: se eu tivesse começado por corrigir os meus erros e mudar-me a mim mesmo, o meu exemplo poderia transformar a minha família.
O exemplo de minha família talvez contagiasse a vizinhança e assim, eu teria sido capaz de melhorar o meu bairro, a minha cidade, o país e quem sabe, eu poderia ter mudado o mundo”.


Autor Desconhecido

segunda-feira, 5 de Dezembro de 2011

O CUSTO DO SUCESSO



Se o sucesso não tivesse um custo, todos teríamos sucesso.
Se as conquistas não tivessem um custo, todos seríamos conquistadores.
Se a felicidade não exigisse dedicação, ela perderia o sentido.
Temos a tendência de pensar em grandes conquistas levando em conta apenas o resultado final, mas geralmente isso é só uma gota de água, a conquista mesmo está no fazer, no esforço, na dedicação, no custo exigido.
Ter uma vida de sucessos não significa acumular troféus e prémios, mas sim estar disposto a comprometer-se com o custo que esse sucesso exige.
Ter sucesso exige esforço, dedicação, disciplina, paixão, e muitas outras qualidades que não podem ser guardadas num armazém, mas que devem ser exercitadas em todos os momentos.
No preço que você paga está o valor que você procura.

domingo, 27 de Novembro de 2011

ESPIRITUALIDADE É DIFERENTE DE RELIGIÃO

A religião é para aqueles que necessitam que alguém lhes diga o que fazer, querem ser guiados.
A espiritualidade é para os que prestam atenção à sua voz interior.
A religião tem um conjunto de regras dogmáticas.
A espiritualidade convida-o a raciocinar sobre tudo, a questionar tudo.
A religião ameaça e amedronta.
A espiritualidade dá-lhe Paz Interior.
A religião fala em pecado e culpa.
A espiritualidade diz- lhe: “aprenda com o erro”. Tudo é aprendizado...
A religião inventa.
A espiritualidade descobre.
A religião não indaga nem questiona.
A espiritualidade questiona tudo.
A religião procura-o para que acredite.
A espiritualidade, você tem que procurá-la.
A religião segue os preceitos de um livro sagrado.
A espiritualidade procura o sagrado em todos os livros.
A religião é humana, é uma organização com regras.
A espiritualidade é Divina, sem regras.
A religião é causa de divisões.
A espiritualidade é causa de União.
A religião reprime tudo, fá-lo falso.
A espiritualidade transcende tudo, fá-lo verdadeiro.
A religião não é Deus.
A espiritualidade é Tudo e, portanto é Deus.
A religião alimenta-se do medo.
A espiritualidade alimenta-se na Confiança e na Fé.
A religião faz viver no pensamento.
A espiritualidade faz viver na Consciência.
A religião sonha com a glória e com o paraíso.
A espiritualidade faz-nos viver a glória e o paraíso aqui e agora.
A religião vive no passado e no futuro.
A espiritualidade vive no presente.
A religião ocupa-se com fazer.
A espiritualidade ocupa-se com o Ser.
A religião alimenta o ego.
A espiritualidade faz-nos transcender.
A religião faz-nos renunciar ao mundo.
A espiritualidade faz-nos viver em Deus, não renunciar a Ele.
A religião é adoração.
A espiritualidade é Meditação.
A religião enclausura a nossa memória.
A espiritualidade liberta a nossa Consciência.
A religião crê na vida eterna.
A espiritualidade faz-nos consciente da vida eterna.
A religião promete para depois da morte.
A espiritualidade é encontrar Deus no nosso interior durante a vida.

quarta-feira, 16 de Novembro de 2011

MORRER É VOLTAR PARA CASA



Quando a morte chega, com sua bagagem de mistérios, traz divergências e indagações.
Afinal, quando os olhos se fecham para a luz, o coração silencia e a respiração cessa, terá morrido a essência humana?
Materialistas negam a continuação da vida. Mas os espiritualistas dizem que sim, a vida prossegue além da sepultura.
E eles têm razão. Há vida depois da morte. Vida plena, pujante, encantadora.
Prova disso? As evidências estão ao alcance de todos os que querem vê-las.
Basta olhar o rosto de um ser querido que faleceu e veremos claramente que falta algo: a alma já não está ali.
O Espírito deixou o corpo feito de nervos, sangue, ossos e músculos. Elevou-se para regiões diferentes, misteriosas, onde as leis que prevalecem são as criadas por Deus.
Como acreditar que somos um amontoado de células, se dentro de nós agita-se um universo de pensamentos e sensações?
Nós não morreremos com o corpo. O organismo voltará à natureza, restituiremos à Terra os elementos que recebemos, mas o Espírito jamais terá fim.
Viveremos para sempre, em dimensões diferentes desta. Somos imortais. O sopro que nos anima não se apaga ao toque da morte.
A prova disso está nas mensagens de renovação que vemos em toda parte.
Ou você nunca notou as flores delicadas que nascem sobre as sepulturas? É a mensagem silenciosa da natureza, anunciando a continuidade da vida.
Para aquele que procurou viver com ética e amor, a morte é apenas o fim de um ciclo. A volta para casa.
Com a consciência pacificada, o coração em festa, o homem de bem fecha os olhos do corpo físico e abre as janelas da alma.
Do outro lado da vida, a multidão de seres amados o aguarda. Pais, irmãos, filhos ou avós.
Os parentes e amigos que morreram antes estarão lá, para abraços calorosos, beijos de saudade, sorrisos de reencontro.
Nesse dia, as lágrimas podem regar o solo dos túmulos e até respingar nas flores, mas haverá felicidade para o que se foi em paz.
Ele vai descobrir um mundo novo, há muito esquecido. Descobrirá que é amado e experimentará um amor poderoso e contagiante: o Amor de Deus.
Depois daquele momento em que os olhos se fecharam no corpo material, uma voz ecoará na alma que acaba de deixar a Terra.
E dirá, suave: Vem, sê bem-vindo de volta à tua casa.

A morte não é pois o fim, mas o momento do recomeço.

“No Caminho da Luz”

quarta-feira, 17 de Agosto de 2011

ESCOLHAS DE UMA VIDA

A certa altura do filme Crimes e Pecados, o personagem interpretado por Woody Allen diz: "Nós somos a soma das nossas decisões".

Essa frase acomodou-se na minha massa cinzenta e de lá nunca mais saiu. Compartilho do cepticismo de Allen: a gente é o que a gente escolhe ser, o destino pouco tem a ver com isso.

Desde pequenos aprendemos que, ao fazer uma opção, estamos descartando outra, e de opção em opção vamos tecendo essa teia que se convencionou chamar "minha vida".

Não é tarefa fácil. No momento em que se escolhe ser médico, se está abrindo mão de ser piloto de avião. Ao optar pela vida de actriz, será quase impossível conciliar com a arquitectura. No amor, a mesma coisa: namora-se um, outro, e mais outro, num excitante vaivém de romances. Até que chega um momento em que é preciso decidir entre passar o resto da vida sem compromisso formal com alguém, apenas vivenciando amores e deixando-os ir embora quando se findam, ou casar, e através do casamento fundar uma microempresa, com direito a casa própria, orçamento doméstico e responsabilidades.

As duas opções têm seus prós e contras: viver sem laços e viver com laços...

Escolha: beber até cair ou virar vegetariano e budista? Todas as alternativas são válidas, mas há um preço a pagar por elas.

Quem dera pudéssemos ser uma pessoa diferente a cada 6 meses, ser casados de segunda a sexta e solteiros nos finais de semana, ter filhos quando se está bem-disposto e não tê-los quando se está cansado. Por isso é tão importante o auto conhecimento. Por isso é necessário ler muito, ouvir os outros, estagiar em várias tribos, prestar atenção ao que acontece em volta e não cultivar preconceitos. Nossas escolhas não podem ser apenas intuitivas, elas têm que reflectir o que a gente é. Lógico que se deve reavaliar decisões e trocar de caminho: Ninguém é o mesmo para sempre.

Mas que essas mudanças de rota venham para acrescentar, e não para anular a vivência do caminho anteriormente percorrido. A estrada é longa e o tempo é curto. Não deixe de fazer nada que queira, mas tenha responsabilidade e maturidade para arcar com as consequências destas acções.

Lembrem-se: suas escolhas têm 50% de chance de darem certo, mas também 50% de chance de darem errado. A escolha é sua...!

Pedro Bial

sexta-feira, 12 de Agosto de 2011

ISTO É SER ESPÍRITA

Ser espírita não é ser nenhum religioso; é ser cristão.

Não é ostentar uma crença; é vivenciar a fé sincera.

Não é ter uma religião especial; é deter uma grave responsabilidade.

Não é superar o próximo; é superar a si mesmo.

Não é construir templos de pedra; é transformar o coração em templo eterno.


Ser espírita não é apenas aceitar a reencarnação; é compreendê-la como manifestação da Justiça Divina e caminho natural para a perfeição.
Não é só comunicar-se com os Espíritos, porque todos indistintamente se comunicam, mesmo sem o saber; é comunicar-se com os bons Espíritos para melhorar e ajudar os outros a melhorarem também.


Ser espírita não é apenas consumir as obras espíritas para obter conhecimento e cultura; é transformar os livros, suas mensagens, em lições vivas para a própria mudança.
Ser sem vivenciar é o mesmo que dizer sem fazer.


Ser espírita não é internar-se no Centro Espírita, fugindo do mundo para não ser tentado; é conviver com todas as situações lá fora, sem se alterar como espírita, como cristão.

O espírita consciente é espírita no templo, em casa, na rua, no trânsito, na fila, ao telefone, sozinho ou no meio da multidão, na alegria e na dor, na saúde e na doença.


Ser espírita não é ser diferente; é ser exactamente igual a todos, porque todos são iguais perante Deus.

Não é mostrar que é bom; é provar a si próprio que se esforça para ser bom, porque ser bom deve ser um estado normal do homem consciente.

Anormal é não ser bom.


Ser espírita não é curar ninguém; é contribuir para que alguém trabalhe a sua própria cura.

Não é tornar o doente um dependente dos supostos poderes dos outros; é ensinar-lhe a confiar nos poderes de Deus e nos seus próprios poderes que estão na sua vontade sincera e perseverante.


Ser espírita não é consolar-se em receber; é confortar-se em dar, porque pelas leis naturais da vida, “é mais bem-aventurado dar do que receber”.

Não é esperar que Deus desça até onde nós estamos; é subir ao encontro de Deus, elevando-se moralmente e esforçando-se para melhorar sempre.


ISTO É SER ESPÍRITA.

(Wanderley Pereira)

segunda-feira, 28 de Março de 2011

ESPIRITUALIDADE E CONSCIÊNCIA


Espiritualidade é um estado de consciência; não é uma doutrina!

É o que se leva dentro do coração.

É o discernimento em acção!

É o amor em profusão.

É a luz nas ideias e equilíbrio no caminho.

É o valor consciencial da alegria na jornada.

É a valorização da vida e de todos os aprendizados.

É mais do que só viver, é sentir a vida que pulsa em todas as coisas.

É respeitar-se a si mesmo, para respeitar o próximo e a natureza.

É ter a plena noção de que nada acaba na morte do corpo, pois a consciência segue além, algures, na eternidade…

É saber disso com certeza, e não apenas crer nisso.

É viver isso com clareza, sem fraquejar no caminho.

É ser um presente para si mesmo, para os outros e para a própria vida.

Espiritualidade é brilho nos olhos e luz nas mãos.

E isso não depende desta ou daquela doutrina; depende apenas do próprio despertar espiritual; depende do discernimento consciencial se unir aos sentimentos legais, no equilíbrio das próprias energias; nos actos da vida.

Ah, espiritualidade é qualidade perene; não se perde nem se ganha; apenas é!

É valor interno, que descerra o olhar para o infinito… Para além dos sentidos convencionais.

É janela espiritual que se abre, dentro de si mesmo, para ver a luz que está em tudo!

Espiritualidade é essa maravilha: o encontro consigo mesmo, em paz.

Espiritualidade é ser feliz, mesmo que ninguém entenda porquê.

É quando você se alegra, só pelo facto de estar vivo!

É quando o seu chacra do coração se abre como uma rosa, e você se sente possuído por um amor que não é condicionado a coisa alguma, mas que ama tudo.

É quando você nem sabe explicar porque ama; só sabe que ama.

Espiritualidade não depende de estar na Terra ou no Espaço; de estar solteiro ou casado; de pertencer a este ou aquele lugar; ou de crer nisto ou naquilo.

É o valor de consciência, alcançado por esforço próprio e faz o viver tornar-se sadio. Espiritualidade é apenas isto:

Ser Feliz!

Ou, como ensinavam os sábios celtas de outrora:

Ser um Presente!

Paz e Luz.

Wagner Borges

sexta-feira, 25 de Março de 2011

AS 4 LEIS DA ESPIRITUALIDADE


As 4 Leis da Espiritualidade na India

A Primeira diz: “A pessoa que vem é a pessoa certa“.
Ninguém entra nas nossas vidas por acaso. Todas as pessoas ao nosso redor, interagindo com a gente, têm algo para nos fazer aprender e avançar em cada situação.

A Segunda diz: “Aconteceu a única coisa que poderia ter acontecido“.
Nada, absolutamente nada do que acontece nas nossas vidas poderia ter sido de outra forma. Mesmo o menor detalhe. Não há nenhum “se eu tivesse feito tal coisa…” ou “aconteceu que um outro…”. Não. O que aconteceu foi tudo o que poderia ter acontecido, e foi para aprendermos a lição e seguirmos em frente. Todas e cada uma das situações que acontecem nas nossas vidas são perfeitas.

A Terceira diz: “Toda a vez que você iniciar é o momento certo“.
Tudo começa na hora certa, nem antes nem depois. Quando estamos prontos para iniciar algo novo nas nossas vidas, é que as coisas acontecem.

E a Quarta e última diz: “Quando algo termina, acaba realmente“.
Simplesmente assim. Se algo acabou nas nossas vidas é para a nossa evolução. Por isso, é melhor seguir em frente e enriquecer-se com a experiência.

quarta-feira, 9 de Março de 2011

METADE DE MIM...

Que a força do medo que eu tenho,
não me impeça de ver o que anseio.
Que a morte de tudo o que acredito
não me tape os ouvidos e a boca.
Porque metade de mim é o que eu grito,
mas a outra metade é silêncio...

Que a música que eu ouço ao longe,
seja linda, ainda que triste...
Que a mulher que eu amo
seja para sempre amada
mesmo que distante.
Porque metade de mim é partida,
mas a outra metade é saudade.

Que as palavras que eu falo
não sejam ouvidas como prece
e nem repetidas com fervor,
apenas respeitadas,
como a única coisa que resta
a um homem inundado de sentimentos.
Porque metade de mim é o que ouço,
mas a outra metade é o que calo.

Que essa minha vontade de ir embora
se transforme na calma e na paz
que eu mereço.
E que essa tensão
que me corrói por dentro
seja um dia recompensada.
Porque metade de mim é o que eu penso,
mas a outra metade é um vulcão.

Que o medo da solidão se afaste
e que o convívio comigo mesmo
se torne ao menos suportável.
Que o espelho reflita em meu rosto,
um doce sorriso,
que me lembro ter dado na infância.
Porque metade de mim
é a lembrança do que fui,
a outra metade eu não sei.

Que não seja preciso
mais do que uma simples alegria
para me fazer aquietar o espírito.
E que o teu silêncio
me fale cada vez mais.
Porque metade de mim
é abrigo, mas a outra metade é cansaço.

Que a arte nos aponte uma resposta,
mesmo que ela não saiba.
E que ninguém a tente complicar
porque é preciso simplicidade
para fazê-la florescer.
Porque metade de mim é platéia
e a outra metade é canção.

E que a minha loucura seja perdoada.
Porque metade de mim é amor,
e a outra metade...
também


Ferreira Gullar

quinta-feira, 3 de Março de 2011

PARA MEDITAR


Quem é especialista em cobrar e controlar os outros está apto para trabalhar numa financeira e lidar com números, mas não para lidar com pessoas.

Augusto Cury

terça-feira, 22 de Fevereiro de 2011

O AMIGO É...

Há uns tempos uma amiga minha definiu assim a amizade !

O Amigo é...
Aquele que nos dá coragem, mas quer a coragem também.
Aquele que nos abre a porta, mas pode fechá-la também.
Aquele que nos dá um empurrão, mas quer ser empurrado também.
Aquele que vibra com o nosso sucesso, e nós com o dele também.
Aquele que nos dá carinho, mas quer ser acarinhado também.
Aquele que nos consola, mas quer ser consolado também.
Aquele que nos acompanha, mas quer companhia também.
Aquele que nos dá seu calor, mas quer ser aquecido também.
Aquele que nos dá sua amizade, e quer um amigo também…

É tudo isto minha amiga e mesmo no silêncio há amizade também...

segunda-feira, 24 de Janeiro de 2011

A MÁGOA


Existem pessoas que se sentem ofendidas, magoadas por qualquer coisa: à mais leve contrariedade, sentem-se humilhadas... Ora, nós não viemos a este mundo para nos banhar em águas de rosas...

Agradeço todas as dificuldades que enfrentei; não fosse por elas, eu não teria saído do lugar... As facilidades impedem-nos de caminhar. Mesmo as críticas auxiliam-nos muito.

Quando você não tiver uma palavra que auxilie, procure não abrir a boca...

Sabemos que precisamos de certos recursos, mas o Senhor não nos ensinou a pedir o pão, mais dois carros, mais um avião... Não precisamos de tanta coisa para colocar tanta carga em cima de nós. Podemos ser chamados hoje à Vida Espiritual... Tudo que criamos para nós, de que não temos necessidade, transforma-se em angústia, em pressão...
Valorizemos o amigo que nos socorre, que se interessa por nós, que nos escreve, que nos telefona para saber como estamos indo... A amizade é uma dádiva de Deus ... Mais tarde, haveremos de sentir falta daqueles que não nos deixam experimentar solidão!

A caridade é um exercício espiritual... Quem pratica o bem, coloca em movimento as forças da alma. Quando os espíritos nos recomendam, com insistência a prática da caridade, eles estão nos orientando no sentido de nossa própria evolução; não se trata apenas de uma indicação ética, mas de profundo significado filosófico...

Uma das mais belas lições que tenho aprendido com o sofrimento: Não julgar, definitivamente não julgar quem quer que seja. Tudo o que pudermos fazer de bem, não devemos adiar... Precisamos somar esforços, criando, digamos, uma energia dinâmica que se anteponha às forças do mal... Ninguém tem o direito de se omitir.

O exemplo é uma força que repercute, de maneira imediata, longe ou perto de nós... Não nos podemos responsabilizar pelo que os outros fazem de suas vidas; cada qual é livre para fazer o que quiser de si mesmo, mas não podemos negar que as nossas atitudes inspiram atitudes, seja no bem quanto no mal.
Fico triste quando alguém me ofende, mas, com certeza, eu ficaria mais triste se fosse eu o ofensor... Magoar alguém é terrível!...

Tudo tem seu apogeu e seu declínio... É natural que seja assim; todavia, quando tudo parece convergir para o que supomos ,o nada, eis que a vida ressurge, triunfante e bela!... Novas folhas, novas flores, na indefinida bênção do recomeço!...

(Chico Xavier)

domingo, 26 de Dezembro de 2010

CEDER


Por que será que nos lamentamos tanto quando nos decepcionamos, perdemos e erramos?
O mundo não acaba quando nos enganamos; ele muda, talvez, de direcção.
Mas precisamos tirar partido dos nossos erros.
Por que tudo teria que ser correcto, coerente, sem falhas?
As quedas fazem parte da vida e do nosso aprendizado dela.
Que dói, dói.
Ah! Isso não posso negar! Dói no orgulho, principalmente.
E quanto mais gente envolvida, mais nosso orgulho dói.
Portanto, o humilhante não é cair, mas permanecer no chão enquanto a vida continua seu curso.
O problema é que julgamos o mundo segundo nossa própria maneira de olhar e nos esquecemos que existem milhões e milhões de olhares diferentes do nosso.
Mas não está obrigatoriamente errado quem pensa diferente da gente só porque pensa diferente.
E nem obrigatoriamente certo. Todo mundo é livre de ver e tirar suas próprias conclusões sobre a vida e sobre o mundo. Às vezes acertamos, outras erramos.
E somos normais assim. Então, numa discussão, numa briga, pare um segundo e pense: 'E se eu estiver errado?'
É uma possibilidade na qual raramente queremos pensar.
Nosso 'eu' nos cega muitas vezes. Nosso ciúme, nosso orgulho e até, por que não, nosso amor. Não vemos o lado do outro e nem queremos ver. E somos assim, muitas vezes injusto tanto com o outro quanto com a gente mesmo, já que nos recusamos a oportunidade de aprender alguma coisa com alguém.
E é por que tanta gente se mantém nessa posição que existem desavenças, guerras, separações.
Ninguém cede e as pessoas acabam ficando sozinhas.
E de que adianta ter sempre razão, saber de tudo, se no fim o que nos resta é a solidão?
Vida é partilha. E não há partilha sem humildade, sem generosidade, sem amor no coração.
Na escola, só aprendemos porque somos conscientes de que estamos lá porque não sabemos ainda; na vida é exactamente a mesma coisa.
Se nos fecharmos, se fecharmos nossa alma e nosso coração, nada vai entrar.
E será que conseguiremos nos bastar a nós mesmos?
Eu duvido. Não andamos em cordas bambas o tempo todo, mas às vezes é o único meio de atravessar.
Somos bem mais resistentes do que julgamos; a própria vida nos ensina a sobreviver, viver sobre tudo e sobretudo.
Nunca duvide do seu poder de sobrevivência!
Se você duvida, cai.
Aprenda com o apóstolo Pedro que, enquanto acreditou, andou sobre o mar, mas começou a afundar quando sentiu medo.
Então, afundar ou andar sobre as águas?
Depende de nós, depende de cada um em particular.
Podemos nos unir em força na oração para ajudar alguém, mas só esse alguém pode decidir a ter fé, força e coragem para continuar essa maravilhosa jornada da vida.
Deus não prometeu Dias sem Dor;
Risos sem Sofrimentos;
Sol sem Chuva.
Ele prometeu Força para o Dia;
Conforto para as Lágrimas e Luz para o Caminho.

Letícia Thompson

segunda-feira, 20 de Dezembro de 2010

A MINHA ÁRVORE DE NATAL


Quisera Senhor neste Natal, armar uma árvore dentro de meu coração e nela pendurar, em vez de presentes, o nome de todos os meus amigos.
Os amigos de longe e de perto, os antigos e recentes, os que vejo todos os dias e os que raramente encontro.
Os sempre lembrados e os que, às vezes, ficam esquecidos.
Os constantes e os intermitentes, os das horas difíceis e os das horas alegres.
Os que, sem querer, eu magoei e os que, sem querer, me magoaram.
Aqueles a quem conheço profundamente e aqueles que me são conhecidas só as aparências.
Os que pouco me devem e aqueles a quem devo muito.
Os meus amigos humildes e os meus amigos importantes.
Os nomes de todos que já passaram pela minha vida.
Os que me estimam e admiram sem eu saber e, os que amo e estimo sem lhes dar a entender.
Quisera, Senhor, neste Natal armar uma árvore de raízes muito profundas para que seus nomes nunca mais sejam arrancados de minha vida.
Uma árvore de ramos muito extensos para que os novos nomes, vindos de todas as partes, venham juntar-se aos já existentes.
Uma árvore de sombra muito agradável para que nossa amizade, seja um momento de repouso no meio das lutas da vida.

segunda-feira, 22 de Novembro de 2010

O SILÊNCIO E AS PALAVRAS


Há algumas coisas que são lindas demais para serem descritas por palavras. É necessário admirá-las em silêncio e contemplação para apreciá-las em toda a sua plenitude.
É necessário tão poucas palavras para exprimir a sua essência. As grandes falas servem frequentemente só para confundir ou doutrinar. O silêncio é frequentemente mais esclarecedor que um fluxo de palavras. Olhe para uma mãe diante do seu filho no berço. Ele consegue muito bem tudo o que quer, sem dizer nenhuma palavra.
Na realidade, as palavras devem ser a embalagem dos pensamentos. Não adianta fazer discursos muito longos para expressar os sentimentos do seu coração. Um olhar diz muito mais que um jorro de palavras.
Creio que, na sua grande sabedoria, a natureza deu-nos apenas uma língua e dois ouvidos para escutarmos mais e falarmos menos.
Se um texto não é mais bonito do que o silêncio, então é preferível não dizer nada. Esta é uma grande verdade sobre a qual os grandes dirigentes deste mundo deveriam meditar. Quanto mais o coração é grande e generoso, menos palavras se tornam úteis...
É necessário lembrar o provérbio dos filósofos: As verdadeiras palavras não são sempre bonitas, mas as palavras bonitas nem sempre são verdades.
As grandes mentes fazer com que, em poucas palavras muitas coisas sejam ouvidas. As mentes pequenas acham que têm, pelo contrário, a concessão para falar e não dizer nada.
Poucas palavras são necessárias dizer “Gosto de ti”, todas as outras que poderiam ser ditas são supérfluas...
Sim e não, são as palavras mais curtas e fáceis de serem ditas. Mas são aquelas que trazem as mais pesadas consequências
São necessários apenas dois anos para que o ser humano aprenda a falar e toda uma vida para que ele aprenda a ficar em silêncio.
Ser comedido com as palavras não é um defeito, mas uma prova de profunda sabedoria. Saber ouvir, também.

Florian Bernard

quarta-feira, 4 de Agosto de 2010

A PEDRA

O distraído tropeçou nela,
O bruto usou-a como projéctil,
O empreendedor usando-a, construiu,
O camponês cansado da lida, fez dela assento,
Para os meninos foi brinquedo,
Drummond de Andrade, poetizou-a,
Já David matou Golias,
E Michelangelo extraiu-lhe a mais bela escultura.
Em todos estes casos a diferença nunca esteve na pedra, mas no homem.


António Pereira (Apon)

Não existe “pedra” no seu caminho que você não possa aproveitá-la para o seu crescimento.
Cada instante que passa é uma gota de vida que nunca mais torna a cair, aproveite cada gota para evoluir.
Das oportunidades saiba tirar o melhor proveito, talvez não tenha outra chance.

 

sexta-feira, 16 de Julho de 2010

INVISÍVEIS, MAS NÃO AUSENTES

A VIDA DEPOIS DA VIDA

A morte não é o fim de tudo.
Ela não é senão o fim de uma coisa e o começo de outra.
Na morte o homem acaba, e a alma começa.
Que digam esses que atravessaram a hora fúnebre, a última alegria a primeira do luto. Digam se não é verdade que ainda há ali alguém, e que não acabou tudo?
Eu sou uma alma.
Bem sinto que o que darei ao túmulo não é o meu eu, o meu ser.
O que constitui o meu eu, irá além.
O homem é um prisioneiro.
O prisioneiro escala penosamente os muros de sua masmorra, coloca o pé em todas as saliências e sobe até o respiradouro.
Aí, olha, distingue ao longe a campina, aspira o ar livre, vê a luz. Assim é o homem.
O prisioneiro não duvida que encontrará a claridade do dia, a liberdade.
Como pode o homem duvidar se vai encontrar a eternidade à sua saída?
Porque não possuirá ele um corpo subtil, etéreo, de que o nosso corpo humano não pode ser senão um esboço grosseiro?
A alma tem sede do absoluto e o absoluto não é deste mundo.
É por demais pesado para esta terra.
O mundo luminoso é o mundo invisível.
O mundo luminoso é o que não vemos.
Os nossos olhos carnais só vêem a noite.
A morte é uma mudança de vestimenta.
A alma, que estava vestida de sombra vai ser vestida de luz.
Na morte o homem fica sendo imortal.
A vida é o poder que tem o corpo de manter a alma sobre a Terra, pelo que faz nela.
A morte é uma continuação. Para além das sombras, estende-se o brilho da eternidade.
As almas passam de uma esfera para a outra, tornando-se cada vez mais luz, aproximando-se cada vez mais de Deus.
O ponto de reunião é o infinito.
Aquele que dorme e desperta, desperta e vê que é homem.
Aquele que é vivo e morre, desperta e vê que é Espírito.

VICTOR HUGO

segunda-feira, 5 de Julho de 2010

PALAVRAS SÁBIAS QUE PODEM AJUDAR

"Aquele que não consegue perdoar destrói uma ponte sobre a qual ele mesmo precisará passar." (Provérbio judaico)

"Quem estuda e não pratica o que aprendeu é como o homem que lavra e não semeia.” (Provérbio árabe)

"Lamentar aquilo que não temos, é desperdiçar aquilo que já possuímos.” (Provérbio chinês)

"Visite os amigos com frequência. O mato cresce depressa em caminhos pouco percorridos.” (Provérbio Escandinavo)

"Quando falares, cuida para que as tuas palavras sejam melhores que o silêncio.” (Provérbio indiano)

"Jamais se desespere nas mais sombrias aflições da sua vida, pois das nuvens mais negras cai água límpida e fecunda.” (Provérbio chinês)

"Dê um peixe a um homem faminto e você o alimentará por um dia. Ensine-o a pescar, e você o estará alimentando pelo resto da vida." (Provérbio chinês)

"Não digas tudo quanto sabes, não faças tudo quanto podes, não creias em tudo quanto ouves, não gastes tudo quanto tens. Porque quem diz tudo quanto sabe, quem faz tudo quanto pode, quem crê em tudo quanto ouve, quem gasta tudo quanto tem, muitas vezes diz o que não convém, faz o que não deve, julga o que não vê e gasta o que não pode.” (Provérbio árabe)

"Numa luta entre elefantes, o prejudicado é o capim.” (Provérbio africano)
"A gente tropeça sempre nas pedras pequenas, porque as grandes a gente logo enxerga." (Provérbio japonês)

"Volta teu rosto sempre na direcção do sol e então as sombras ficarão para trás." (Provérbio russo)

domingo, 20 de Junho de 2010

DE UMA AMIGA...

Se um dia me perguntarem quem era o meu amigo,
Eu direi com todo orgulho,
Que o meu amigo era a melhor pessoa
Que podia existir,
E que foi com ele que eu levei as melhores broncas,
Encarei as piores coisas,
Que foi ele que me ajudou
A superar as barras mais difíceis...
Quando queria chorar, quando não havia mais
Ninguém para me apoiar, quando queria falar,
Quando tudo me pareceu muito estranho.
Ah! Como é bom, ter o meu amigo...
Em especial, aquele que me fez sorrir.
Pois, foi com ele que eu passei...
Os melhores momentos da minha vida
É certo que ele estará sempre presente...
Na minha vida!


Dedicado por uma amiga muito especial, que há muito não sei nada dela.
Felicidades amiga que tenhas tudo o que mereces.
Saravah

sábado, 12 de Junho de 2010

A ETERNIDADE

O que eu tenho não me pertence embora faça parte de mim.
Tudo o que sou foi-me um dia emprestado pelo Criador, para que eu possa dividir com aqueles que entram na minha vida.
Ninguém cruza o nosso caminho por acaso e nós não entramos na vida de alguém sem nenhuma razão.
Há muito o que dar e o que receber, há muito o que aprender, com experiências boas ou negativas.
É isso... tente ver as coisas negativas que acontecem consigo como algo que acontece por uma razão precisa.
E não se lamente pelo ocorrido, além de não servir de nada reclamar, isso vai lhe vendar os olhos para continuar o seu caminho.
Quando não conseguimos tirar da cabeça que alguém nos feriu, estamos somente reavivando a ferida, tornando-a muitas vezes bem maior do que era no início.
Nem sempre as pessoas nos ferem voluntariamente.
Muitas vezes somos nós que nos sentimos feridos e a pessoa nem mesmo percebeu; e sentimo-nos decepcionados porque aquela pessoa não correspondeu às nossas expectativas.
Às nossas expectativas!!!
E sabemos lá quais eram as suas expectativas?
Nós tanto nos decepcionamos quanto decepcionamos os outros.
Mas claro, é bem mais fácil pensar nas coisas que nos atingem.
Quando alguém lhe disser que o magoou sem intenção, acredite nela!
Vai lhe fazer bem, assim, talvez ela poderá entender quando você, sinceramente, disser que “foi sem querer.”
Dê de você mesmo o quanto puder!
Sabe, quando você se for, a única coisa que vai deixar é a lembrança do que fez aqui.
Seja bom, tente dar sempre o primeiro passo, nunca negue uma ajuda ao seu alcance, perdoe e dê de você mesmo.
SEJA UMA BENÇÃO!
Deus não vem em pessoa para abençoar. Ele usa os que estão aqui dispostos a cumprir essa missão.
Todos nós podemos ser anjos.
A eternidade está nas mãos de todos nós.
Viva de maneira que quando você se for, muito de você ainda fique naqueles que tiveram a boa ventura de encontrá-lo!!!

Mensagem de Chico Xavier

segunda-feira, 3 de Maio de 2010

APAIXONEI-ME

Apaixonei-me pelo meu projecto de vida e acreditei!
Apaixonei-me mais pela caminhada que estou a percorrer… do que pela chegada ao destino.
Apaixonei-me pelas minhas memórias pois todas têm um grande significado para mim e ninguém mas pode alterar.
Apaixonei-me pelas pessoas que estão ao meu lado, mesmo que por vezes distantes, pois na caminhada, a pessoa certa é aquela que está definitivamente comigo.
Apaixonei-me pelo Sol, pela Lua, pela Natureza, eles são fiéis e gratuitos e estão sempre absolutamente disponíveis.
Apaixonei-me pela dança da vida que está sempre em movimento dentro de mim.
Apaixonei-me mais, pelo significado das coisas que conquistei, do que pelo seu valor material.
Apaixonei-me pelas minhas ideias, mesmo aquelas que por vezes, para nada servem.
Apaixonei-me por alguém. O amor e a paixão fortalecem a minha vontade de viver.
Apaixonei-me pelo meu Jardim Familiar, amo as minhas flores.
Apaixonei-me pelo meu corpo, mesmo sabendo que está fora de forma, pois de qualquer “forma” ele é a única casa que possuo.
Apaixonei-me pela ideia de ser verdadeiramente feliz, a felicidade está dentro de mim.
Apaixonei-me pela música da vida e pelo concerto Divino.
Apaixonei-me pelo facto de ser humano.
Apaixonei-me definitivamente por mim.

terça-feira, 27 de Abril de 2010

O SILÊNCIO DOS LOBOS

Pense em alguém poderoso.
Essa pessoa briga e grita como uma galinha ou olha em calmo silêncio, como um lobo?
Os Lobos não gritam. Eles têm uma aura de força e poder. Observam em silêncio.
Somente os poderosos, sejam lobos, homens ou mulheres, respondem a um ataque verbal com o silêncio.
Além disso, quem evita dizer tudo o que tem vontade, raramente se arrepende por magoar alguém com palavras ásperas e impensadas.
Exactamente por isso, o primeiro e mais óbvio sinal de poder sobre si mesmo é o silêncio em momentos críticos.
Se você está em silêncio, olhando para o problema, mostra que está pensando, sem tempo para debates fúteis.
Se for uma discussão que já deixou o terreno da razão, quem silencia e continua a trabalhar mostra que já venceu, mesmo quando o outro lado insiste em gritar a sua derrota.
Olhe... Sorria... Silencie... Vá em frente...
Lembre-se de que há momentos de falar e há momentos de silenciar. Escolha qual desses momentos é o correcto, mesmo que tenha que se esforçar para isso.
Por alguma razão, provavelmente cultural, somos treinados para a (falsa) ideia de que somos obrigados a responder a todas as perguntas e reagir a todos os ataques. Não é verdade. Você responde somente ao que quer responder e reage somente ao que quer reagir. Você nem mesmo é obrigado a atender seu telefone pessoal.
Falar é uma escolha, não uma exigência, por mais que assim o pareça.
Você pode escolher o silêncio.
Além disso, você não terá que se arrepender por coisas ditas em momentos impensados, como defendeu Xenócrates, mais de trezentos anos antes de Cristo, ao afirmar: "ARREPENDO-ME DE COISAS QUE DISSE, MAS JAMAIS DE MEU SILÊNCIO".
Responda com o silêncio, quando for necessário. Use sorrisos, não sorrisos sarcásticos, mas reais, use o olhar, use um abraço ou use qualquer outra coisa para não ter que responder em alguns momentos.
Você verá que o silêncio pode ser a mais poderosa das respostas. E, no momento certo, a mais compreensiva e real delas."
Aldo Novak

quarta-feira, 14 de Abril de 2010

SE EU MORRER ANTES DE TI...

Se eu morrer antes de ti, faz-me um favor:
Chora o quanto quiseres, mas não brigues com Deus por ele me ter levado.
Se não quiseres chorar, não chores. Se não conseguires chorar, não te preocupes.
Se tiveres vontade de rir, ri.
Se alguns amigos contarem algum facto a meu respeito, ouve e acrescenta a tua versão.
Se me elogiarem demais, corrige o exagero.
Se me criticarem demais, defende-me.
Se me quiserem fazer um santo, só porque morri, mostra que eu tinha um pouco de santo, mas estava longe de ser o santo que me pintam.
Se me quiserem fazer um demónio, mostra que eu talvez tivesse um pouco de demónio, mas que a vida inteira, eu tentei ser bom e amigo.
Espero estar com Ele o suficiente para continuar a ser-te útil, lá onde estiver.
E se tiveres vontade de escrever alguma coisa sobre mim, diz apenas uma frase:
-"Foi meu amigo, acreditou em mim e quis-me mais perto de Deus!"
- Aí, então derrama uma lágrima.
Eu não estarei presente para enxugá-la, mas não faz mal. Outros amigos farão isso no meu lugar.
E, vendo-me bem substituído, irei cuidar de minha nova tarefa no céu.
Mas, de vez em quando, dá uma espiadinha na direcção de Deus.
Tu não me verás, mas eu ficaria muito feliz vendo-te olhar para Ele.
E, quando chegar a tua vez de ires para o Pai, aí, sem nenhum véu a separar a gente, vamos viver, em Deus, a amizade que aqui nos preparou para Ele.
Acreditas nessas coisas?
Então reza para que nós vivamos como quem sabe que vai morrer um dia, que morramos como quem soube viver direito.
Amizade só faz sentido se traz o céu para mais perto de nós e se inaugura aqui mesmo o seu começo.
Mas, se eu morrer antes de ti, acho que não vou estranhar o céu...
Ser teu amigo... já é um pedaço dele..."

Mensagem de Chico Xavier

terça-feira, 13 de Abril de 2010

DEFINIÇÃO DE SAUDADE

Artigo do Dr. Rogério Brandão, Médico oncologista
Recife

Como médico oncologista, já calejado com longos 29 anos de actuação profissional (....) posso afirmar que cresci e modifiquei-me com os dramas vivenciados pelos meus pacientes.
Não conhecemos nossa verdadeira dimensão até que, apanhados pela adversidade, descobrimos que somos capazes de ir muito mais além.

Recordo-me com emoção do Hospital do Câncer de Pernambuco, onde dei meus primeiros passos como profissional. Comecei a frequentar a enfermaria infantil e apaixonei-me pela oncopediatria. Vivenciei os dramas dos meus pacientes, crianças vítimas inocentes do câncer.
Com o nascimento da minha primeira filha, comecei a me acovardar ao ver o sofrimento das crianças, até o dia em que um anjo passou por mim!

Meu anjo veio na forma de uma criança já com 11 anos, calejada por dois longos anos de tratamentos diversos, manipulações, injecções e todos os desconfortos trazidos pelos programas de químicos e radioterapias. Mas nunca vi o pequeno anjo fraquejar. Vi-a chorar muitas vezes; também vi medo em seus olhinhos; porém, isso é humano!
Um dia, cheguei ao hospital cedinho e encontrei meu anjo sozinho no quarto. Perguntei pela mãe... A resposta que recebi, ainda hoje, não consigo contar sem vivenciar profunda emoção.
" - Tio, disse-me ela, às vezes minha mãe sai do quarto para chorar escondida nos corredores. Quando eu morrer, acho que ela vai ficar com muita saudade. Mas, eu não tenho medo de morrer, tio. Eu não nasci para esta vida!"
Indaguei:
- E o que a morte representa para você, minha querida?
" - Olha tio, quando a gente é pequena, às vezes, vamos dormir na cama do nosso pai e no outro dia, acordamos na nossa própria cama, não é?"
(Lembrei das minhas filhas, na época crianças de 6 e 2 anos, com elas, eu procedia exactamente assim.)
- É isso mesmo.
"- Um dia eu vou dormir e o meu Pai vem me buscar… Vou acordar na casa Dele, na minha vida verdadeira!"
Fiquei "entupigaitado", não sabia o que dizer. Chocado com a maturidade com que o sofrimento acelerou, a visão e a espiritualidade daquela criança.
"- E minha mãe vai ficar com saudades, emendou ela."
Emocionado, contendo uma lágrima e um soluço, perguntei:
- E o que saudade significa para você, minha querida?
- Saudade é o amor que fica!
Hoje, aos 53 anos de idade, desafio qualquer um a dar uma definição melhor, mais directa e simples para a palavra Saudade:
"SAUDADE É O AMOR QUE FICA"!

quinta-feira, 1 de Abril de 2010

EM POUCAS PALAVRAS

Nunca deixarei que morra em mim a certeza de ser quem sou, nem a vontade de percorrer o Trilho que escolhi.
Mesmo quando me assola alguma gota de fraqueza e de desânimo, bastam pequenos sinais e poucas palavras para renascer a esperança de que nenhuma perda é definitiva, nem nenhuma sentença terrena é um facto consumado.
A passagem por esta vida é muito curta para odiar alguém.
Hoje escrevo no livro da minha vida páginas de paz, de amor, de amizade e de serenidade.
Há muito tempo que fiz as pazes com o meu passado, para ele não me estragar o presente.
Deixei de me importar com o que os outros pensam de mim, não é da minha conta, sigo um caminho que é somente meu, os amigos podem caminhar ao meu lado, mas ninguém pode fazer o percurso por mim.

sexta-feira, 26 de Março de 2010

TALVEZ...

Talvez eu venha a envelhecer rápido demais.
Mas lutarei para que cada dia tenha valido a pena.
Talvez eu sofra inúmeras desilusões no decorrer da minha vida.
Mas farei que elas percam a importância diante dos gestos de amor que encontrei.
Talvez eu não tenha forças para realizar todos os meus ideais.
Mas jamais irei considerar-me um derrotado.
Talvez nalgum instante eu sofra uma terrível queda.
Mas não ficarei por muito tempo olhando para o chão.
Talvez um dia o sol deixe de brilhar.
Então irei banhar-me na chuva.
Talvez um dia eu sofra alguma injustiça.
Mas jamais assumirei o papel de vítima.
Talvez eu tenha que enfrentar alguns inimigos.
Mas terei humildade para aceitar as mãos que se estenderem na minha direcção.
Talvez numa dessas noites frias, eu derrame muitas lágrimas.
Mas não terei vergonha por esse gesto.
Talvez eu seja enganado inúmeras vezes.
Mas não deixarei de acreditar que nalgum lugar alguém merece a minha confiança.
Talvez com o tempo eu perceba que cometi grandes erros.
Mas não desistirei de continuar trilhando o meu caminho.
Talvez eu perca grandes amizades.
Mas irei aprender que aqueles que realmente são meus verdadeiros amigos, nunca estarão perdidos.
Talvez algumas pessoas queiram o meu mal.
Mas continuarei plantando a semente da fraternidade por onde passar.
Talvez eu fique triste ao concluir que não consigo seguir o ritmo da música.
Mas então, farei que a música siga o compasso dos meus passos.
Talvez eu nunca consiga ver um arco-íris.
Mas aprenderei a desenhar um, nem que seja dentro do meu coração.
Talvez hoje eu me sinta fraco.
Mas amanhã irei recomeçar, nem que seja de uma maneira diferente.
Talvez eu não aprenda todas as lições necessárias.
Mas terei a consciência que os verdadeiros ensinamentos já estão gravados na minha alma.
Talvez eu me deprima por não ser capaz de saber a letra daquela música.
Mas ficarei feliz com as outras capacidades que possuo.
Talvez eu não tenha motivos para grandes comemorações.
Mas não deixarei de me alegrar com as pequenas conquistas.
Talvez a vontade de abandonar tudo se torne a minha companheira.
Mas ao invés de fugir, correrei atrás do que almejo.
Talvez eu não seja exactamente quem gostaria de ser.
Mas passarei a admirar quem sou.

E se ainda não me convenci disso, é porque "ainda não chegou o fim".
Porque no final saberei que, mesmo com incontáveis dúvidas, eu sou capaz de construir uma vida melhor.

Porque no final não haverá nenhum "Talvez" e sim a certeza de que a minha vida valeu a pena e eu fiz o melhor que podia.


(Já editado em 12/07/2007)