quinta-feira, 1 de abril de 2010

EM POUCAS PALAVRAS

Nunca deixarei que morra em mim a certeza de ser quem sou, nem a vontade de percorrer o Trilho que escolhi.
Mesmo quando me assola alguma gota de fraqueza e de desânimo, bastam pequenos sinais e poucas palavras para renascer a esperança de que nenhuma perda é definitiva, nem nenhuma sentença terrena é um facto consumado.
A passagem por esta vida é muito curta para odiar alguém.
Hoje escrevo no livro da minha vida páginas de paz, de amor, de amizade e de serenidade.
Há muito tempo que fiz as pazes com o meu passado, para ele não me estragar o presente.
Deixei de me importar com o que os outros pensam de mim, não é da minha conta, sigo um caminho que é somente meu, os amigos podem caminhar ao meu lado, mas ninguém pode fazer o percurso por mim.

4 comentários:

Maria Jose disse...

Neste pequeno texto
Com palavras sábias
Que sintetizou
Eu aprendi um pouco
A gostar mais de mim
Tal qual, eu sou

E digo-lhe, amigo
Que belo exemplo
Que, aqui, nos deu
Siga o seu Trilho
Onde não há ódio
Porque o Amor, venceu

Bem haja, pelo seu testemunho.
Um abraço, com amizade.
Maria José

Rosa Mar disse...

EXCELENTE


PARABENS

M.L. disse...

"Nunca deixarei que morra em mim a certeza de ser quem sou, nem a vontade de percorrer o Trilho que escolhi."
Caminhante esta frase é magnifica e mostra a tua força interior.
Adorei este post e se me permites, vou continuar a caminhar a teu lado, ... mas fazendo o meu percurso.
M.L.

Hermínia Nadais disse...

Estou emocionada! A traição do tempo que escasseia desencaminha-me, e quando, finalmente,, me encontro por aqui... a saudade aperta e dói, dói mesmo.
Vaguear por aqui é uma grande graça.
Por favor, seja muito feliz!