quarta-feira, 7 de maio de 2008

QUANDO A VIDA ME SORRIA

Quando a vida me sorria
Cheguei a acreditar
Que tinha outra família
Cheguei a acreditar
Que era querido por igual
Cheguei a acreditar
Que era aceite pelo que sou
… Quando a vida me sorria

Quando a vida me sorria
Cheguei a acreditar
Que era feliz e respeitado
Cheguei a acreditar
Que tinha mais irmãos
Cheguei a acreditar
Que não era descriminado
Cheguei a acreditar
Que tinha muitos amigos
… Quando a vida me sorria

Quando a vida me sorria
Cheguei a acreditar
Que a vida me sorria

Mas não sorria
Era o "poder" que me dava essa ilusão

Caminhante

5 comentários:

Anónimo disse...

não duvido que a vida lhe venha a sorrir, pois ela sorri a quem o merece. Talvez isso venha a acontecer em Porto Amboim. grande abraço

Nuno Pereira disse...

desculpe a minha intromissão mas passei por aqui e reconheci os poemas, que já agora, são fabulosos.
os picos de felicidade são quando encontramos pessoas assim como você.
obrigado por tudo

Hermínia Nadais disse...

Que realidade incontestável!... É muito bom passear por aqui!

Caminhante disse...

Obrigado Hermínia
Passeie sempre
Um abraço

Caminhante disse...

Obrigado Nuno pelas palavras, mas não agradeça. Nada acontece por acaso e ainda há muito caminho a percorrer, vamos indo.
Um abraço